Aurora: poesia do teu corpo

É no teu corpo

no teu corpo, eu disse,

meu bem, é onde quero estar

com a minha boca a descobrir

quais os lugares que lhe fazem ir

para outro lugar e

ali me encontrar.

Seu pulso está acelerado, meu bem;

Gosta quando toco aqui?

Sua respiração está acelerada, meu bem;

encha nossa copo outra vez.

Eu quero ficar no teu corpo

como aquela cicatriz que

ganhou naquela partida de futebol aos 13 anos

sentir teu gosto e

absorver tudo o que tens a me dar e

loucuras loucuras loucuras!

Agora, ouvindo The Smiths, meu bem

descubro que por teu corpo

meu coração se move no peito, e na virilha

assim como quando você ascende meu cigarro

assim que terminamos de foder pela nona vez.

Eu perco a razão quando ficas nu

e, nua, minh’alma chora

chora d’uma alegria boba: porque estás nu

e nu permaneces até o sol entrar

pela rachadura da janela do hotel

até que eu acorde e

te procurando com a boca

digo-lhe “ceda-te a mim”

“outra vez?” você pergunta, sabendo a resposta

e não é capaz de te negar a mim

porque quer em você

minha boca apaixonada.

E com minh’alma gozada

vou embora pela Faria Lima

ás cinco da manhã d’uma sexta-feira lilás.

8 Comentários (+adicionar seu?)

  1. Bianca Mello (@Comeinmycaaaave)
    out 15, 2011 @ 13:45:31

    “É no teu corpo

    no teu corpo, eu disse,

    meu bem, é onde quero estar

    com a minha boca a descobrir

    quais os lugares que lhe fazem ir

    para outro lugar e

    ali me encontrar.”

    MEU DEUS, DE ONDE VOCÊ TIRA ESSAS COISAS? ÇÇ

    Responder

  2. Bianca Mello (@Comeinmycaaaave)
    out 15, 2011 @ 13:46:25

    “Seu pulso está acelerado, meu bem;

    Gosta quando toco aqui?”

    Sempre soube que você era pervertida hehehe

    Responder

  3. Éber Miom
    out 15, 2011 @ 22:23:22

    Quando chegou no final e tinha “Áudio”, eu já tava achando que era a versão declamada em áudio hahahah
    Marquesa Aurora, hahahahha
    Gostei, bem mais simples e direto que o primeiro, no qual nos apresenta a célebre e imortal ” de olhinhos puxados e mestiços” Aurora…
    Dá pra viajar nas palavras e você não matou ninguém!

    Ps: não que isso seja deva se tornar uma coisa comum em todo conto/prosa/poesia que você escrever. xD
    Congratz, Anny ;*

    Responder

  4. Hiago Vitor
    out 15, 2011 @ 22:53:14

    *—* da onde voce tira essa imagens , são tão …… Aurora.

    Responder

  5. Harry
    out 15, 2011 @ 23:25:08

    Auroraa…pervertida e amorosa. Adoro isso.

    Responder

  6. Ghad Arddhu
    out 18, 2011 @ 08:20:18

    “pela rachadura da janela do hotel”

    O “auto-biográfico” de seus textos ainda me faz questionar algumas coisas…

    Poesia com tesão, por sorte coloquei a música só depois de lê-la pela primeira vez: Smiths me fariam broxar.

    Responder

    • Anny de Souza
      out 19, 2011 @ 02:03:18

      O “auto-biográfico” dessa coisa toda é limitado a somente o perfil da personagem. Acalme os sentidos e questões! Hahahahaha…

      Acho que vou ter que pesquisar o gosto musical alheio para as próximas trilhas.

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: